segunda-feira

Protegendo nossas crianças contra pedofilia

Photobucket
Lembre-se sempre que a pedofilia é uma perversão sexual, caracterizada pela opção sexual preferencial por crianças e adolescentes, de forma compulsiva e obsessiva. O pedófilo é um doente que pode cometer crimes contra crianças. O pedófilo é uma pessoa aparentemente normal e muitas vezes bem inserida na sociedade. A pedofilia é uma patologia muito freqüente em todas os níveis sociais e econômicos. Lembre-se portanto: Não é rara a presença de pedófilos no meio da família, nas escolas, nas praças, nos playgrounds, nos educandários, no ambiente esportivo, nas igrejas, em consultórios médicos e em todos os lugares onde ele, o pedófilo, possa encontrar crianças e adolescentes. Lembre-se que na maioria das vezes o abusador sexual de crianças é alguém da própria família (pai, padrasto, avô, tio, cunhado, irmão mais velho, ou alguém sem vínculo familiar, mas próximo da criança). O abuso sexual de crianças e adolescentes é um ato covarde, de manipulação do poder e da confiança que crianças têm naquele adulto. Lembre-se que a Internet tornou-se hoje um paraíso para os pedófilos. Encaminhe suas denúncias sobre pedofilia na Internet para

Photobucket

Photobucket

Quais os crimes mais cometidos por pedófilos?
Atentado violento ao pudor

Prática de atos libidinosos cometidos mediante violência ou grave ameaça. São considerados atos libidinosos aqueles que impliquem em contato da boca com o pênis, com a vagina, com os seios, com o ânus, ou a manipulação erótica destes órgãos com a mão ou dedo. Também atos que impliquem na introdução do pênis no ânus, no contato do pênis com o seio ou na masturbação mútua.

Estupro

Constranger criança ou adolescente à conjunção carnal mediante violência ou grave ameaça.

Pornografia Infantil

Apresentar, produzir, vender, fornecer, divulgar ou publicar, por qualquer meio de comunicação, inclusive rede mundial de computadores ou internet, fotografias, imagens com pornografia ou cenas de sexo explícito envolvendo crianças e pré-adolescentes.

Photobucket

Photobucket

Prevenção
Medidas para prevenir o abuso sexual e proteger a criança devem ser aplicadas precocemente, em razão do abuso sexual poder ocorrer desde os primeiros anos de vida.

O que os pais devem fazer para proteger seus filhos:

*Estar bem informados sobre a realidade do abuso sexual contra crianças.

*Ouvir seus filhos e acreditar neles por mais absurdo que pareça o que estão contando.

*Dispor de tempo para seu filho e dar-lhe atenção.

* Saber com quem seu filho está ficando nos momentos de lazer.

* Conhecer seus colegas e os pais deles.

*Procurar informar-se sobre o que sabem e como lidam com a questão da violência e do abuso sexual os responsáveis pela creche, pela escola, pelos programas de férias.

*Faça o mesmo com seu pediatra, o conselheiro religioso, a empregada e a babá.

*Antes de tudo, falar com seu filho ou sua filha e lembrar-se que o abuso sexual pode ocorrer ainda nos primeiros anos da infância.

Protegendo na Internet

Usar o computador e a internet junto com a criança. Criar condições para que a criança lhe mostre os sites por que navega.

Instalar o computador em um cômodo comum da casa, ao qual todos tenham acesso.

Sempre que puder, verificar as contas dos e-mails das crianças.

Procurar saber quais os serviços de segurança usado nos computadores das escolas e das lan houses freqüentadas por seus filhos.

Orientar crianças e adolescentes a não se encontrarem com pessoas que conheceram pela internet.

Instruir as crianças e adolescentes a não postarem fotos pela internet.

Ensinar as crianças e adolescentes a não divulgarem dados pessoais - idade, endereço e telefone em salas de bate-papo .

Dizer às crianças e adolescentes para nunca responderem a mensagens insinuantes ou agressivas.

Explicar para as crianças e adolescentes os perigos da pedofilia na internet.

Conhecer os amigos que a criança faz no mundo virtual. Assim como podem surgir boas amizades, também podem aparecer pessoas com más intenções.

Criar dispositivos de bloqueio e controle de determinados sites.

Explicar á criança que muitas coisas vistas na Internet podem ser verdade, mas também podem não ser.

A comunicação é fundamental. Mais do que qualquer programa ou filtro deconteúdo, a conversa sincera entre pais e filhos , professores e alunos, ainda é a melhor arma para enfrentar os perigos da pedofilia e muitos outros.

A escola deve ser um espaço privilegiado de discussão sobre essas questões, especialmente pelo seu caráter formador.

Falando com seu filho e sua filha:

Entre 18 meses e 3 anos, ensine a ele ou ela o nome das partes do corpo.

Entre 3 e 5 anos,

converse com eles sobre as partes privadas do corpo (aquelas cobertas pela roupa de banho) e também como dizer não. Fale sobre a diferença entre “o bom toque e o mal toque”.

Após os 5 anos

a criança deve ser bem orientada sobre sua segurança pessoal e alertada sobre as principais situações de risco.

Após os 8 anos

deve ser iniciada a discussão sobre os conceitos e as regras de conduta sexual que são aceitas pela família e fatos básicos da reprodução humana.

Photobucket

Photobucket
Dados Alarmantes

Rastreamentos feitos pela polícia mostram que jovens de classe média com idade entre 17 e 24 anos são considerados os principais produtores de imagens de crianças violentadas. Suas vítimas, na grande maioria dos casos, são menores de sua própria família.Os compradores dessa produção tem um perfil diferente. Normalmente são solteiros, tem pouco mais de 40 anos e costumam ser profissionais liberais.A pedofilia na internet é alimentada de formas variadas. De um lado estão as pessoas que produzem, vendem ou disponibilizam gratuitamente as imagens de sexo envolvendo criança, e do outro estão aqueles internautas que consomem esse material.Um aspecto assustador hoje são as associações ativistas “pró-pedofilia” que argumentam que a pedofilia não é uma doença, mas uma orientação sexual e que a sociedade deve reconhecer e legitimar isso. Esses ativistas defendem intransigentemente os intercursos sexuais entre adultos e crianças. Rastreamentos feitos pela polícia mostram que jovens de classe média com idade entre 17 e 24 anos são considerados os principais produtores de imagens de crianças violentadas. Suas vítimas, na grande maioria dos casos, são menores de sua própria família.Os compradores dessa produção tem um perfil diferente. Normalmente são solteiros, tem pouco mais de 40 anos e costumam ser profissionais liberais.A pedofilia na internet é alimentada de formas variadas. De um lado estão as pessoas que produzem, vendem ou disponibilizam gratuitamente as imagens de sexo envolvendo criança, e do outro estão aqueles internautas que consomem esse material.Um aspecto assustador hoje são as associações ativistas “pró-pedofilia” que argumentam que a pedofilia não é uma doença, mas uma orientação sexual e que a sociedade deve reconhecer e legitimar isso. Esses ativistas defendem intransigentemente os intercursos sexuais entre adultos e crianças.

Photobucket

De acordo com a Associação Italiana para a Defesa da Infância, o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking mundial de sites dedicados à pornografia infantil (a entidade trabalha com informações do FBI, a polícia federal americana).Matéria publicada na revista “Isto É”, em março de 2006, mostra que no ano 2000 o mercado mafioso da pedofilia movimentou 5 bilhões de dólares em todo o mundo. Em 2005 a estimativa é que esse mercado tenha movimentado 10 bilhões de dólares, ou seja, dobrou em apenas 5 anos. Nesses 10 bilhões estão embutidos a venda de fotografias e vídeos que mostram crianças sendo abusadas e fazendo sexo com adultos e até com animais.

Photobucket
Uma foto de criança sendo violentada chega a valer 100 dólares.
Um vídeo de 5 minutos vale até 1000 dólares.
Quanto menor a idade, maior o valor da foto ou vídeo.
Denuncie
Photobucket

Fonte: Observatório da Infancia / Girasol Solidário / Brasil Contra a Pedofilia

6 comentários:

Serena Flor disse...

Este seu post é de extrema importância e merecia até ser assunto de blogagem coletiva!
Parabéns querida...adorei e vou indicar este texto do seu blog no Alma Poeta.
Um beijo e ótima semana pra você!
Serena.

vocefazobrasil.com disse...

oii!!!
querida, tudo bem?
parabéns pelo post, esse tipo de violência é abominavel, tem que ser denunciada e punida.
Bjs...bye!!!

Mayra disse...

Oi querida, td bem?
obrigada pelo carinho....irei colocar o seu banner tbm la no Especula ta?

bjosss

Osc@r Luiz disse...

Tenho um filho de 4 anos e essa idéia é mesmo APAVORANTE!
Não consigo me imaginar perdendo os valores que contruí, mas se uma coisa dessas acontecesse, não sei como eu reagiria...
Um beijo e parabéns!

Flor ♥ disse...

Oi, seja bem vinda ao Interlúdio com Florbela!

Bjs. e excelente semana!

Eugenio Costa disse...

A pedofilia esta enraízada dentro da cultura brasileira, não pretendo falar sobre tratados ou estudos, simplesmente falo de minha esperiência de viajante pelo nordeste afora.
Trinta anos atrás, uma menina de 14anos era aceita em qualquer ambiente negativo (prostíbulo), com aceitação de juízes, delegados e políciais, e os cléricos faziam olhos fechados.
Porque digo isso, ora porque vivi esse tempo (que tempo)década de 60/80). Hoje é diferente só ná lei, mas na prática continua do mesmo jeito.
E hoje a tecnologia evolui e pra leiloar uma criança pela Internet é simples (O Filme: Desaparecidos, denúnciou, e daí?)
Somos homens e mulheres e existe o tráfico de seres humanos para diversas finalidades além do sexo: O tráfico de orgão, por exemplo.
Quem curte um filme pornô não sabe a tragetória daquela mulher sorrindo e fazendo tudo, não sabe como ela foi domesticada (lavagem cerebral) prá chegar a esse ponto.
Brasil, tú é um moinho.
Eugenio

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios